domingo, 5 de fevereiro de 2017

Resenha: Arkyos Angel - Visual Novel Brasileiro


Hey sweeties! Como vão?
Com esse novo post eu quis trazer uma coisa diferente, super diferente. Diferente do que eu á escrevi aqui no blog até agora. Estou falando que decidi fazer uma resenha de um jogo. (A minha anterior foi de um livro e agora eu decidi de trazer de um jogo). Que me marcou e me marca até hoje, o nome dele é Arkyos Angel (Como diz o título).
Mas, Arkyos Angel? O que é isso?
Bom Arkyos Angel é um Visual Novel/Otome Game e o melhor de tudo é brasileiro.
Mas o que é um Visual Novel?
Visual Novels é um gênero de jogos de videogame e PC bastante comum no Japão.
São jogos focados no enredo, nos quais o jogador acompanha uma história por meio de textos, músicas e imagens, e, em alguns raros casos, cenas gravadas com atores reais. Em momentos-chaves desses jogos o jogador deve decidir que caminho o protagonista deve seguir e, desta forma, o jogo avança. O desenvolvimento da trama destes jogos costuma depender das escolhas que os jogadores fazem durante os jogos. São como filmes ou livros interativos; daí o nome "visual novel". (Obrigada Wikipédia)
Muitos que conhecem esse mundo pode achar estranho ou meio ousado, mas é algo que vale muito a pena mesmo. Tem sempre aquele “preconceito” sobre as produções brasileiras, mas eu super me orgulho disso, até porque isso é um futuro.
Sobre o Visual Novel em si você é a personagem principal do jogo, Katrina (esse é o nome padrão da personagem, mas você pode colocar o nome que quiser).
Ela é a princesa do reino de Arkyos no mundo sobrenatural, onde ela é um anjo.
Arkyos Angel faz muito sentido agora não é mesmo? Anjo de Arkyos. (Tá já parei com a piadinha).
Brincadeiras à parte, você é mais que uma princesa de um reino. É uma princesa protegida de Super-Vilões (nem tão super assim) que te querem morta e porquê?
Porque simplesmente você é a princesa. A futura rainha do reino que trará várias coisas boas em seu reinado, então só por isso te querem morta, porque querem a guerra e não a paz.
Com todo esse drama de morte e tudo mais a personagem principal fica ao cuidado de 3 lindos cavaleiros com personalidades super diferentes.

O primeiro é o Yukine, um vampiro super fofo, mulherengo e com uma personalidade que chega a ser duvidosa em certos momentos.
O segundo é um demônio chamado Luka no qual vive super estressado, nunca está satisfeito e que nunca parece que está de bom humor.

E terceiro e não menos importante. Joker, um mago bastante tranquilo e gente boa. Ele meio que cuida e controla a situação com os outros dois para que não se matem.
Bom o jogo é feito a partir de escolhas da personagem (você) que pode levar a 3 finais. O românico que é o mais esperado por todos onde tudo dá certo e você fica com o amor da sua vida. É o final bom. Tem o normal, no caso ele é neutro. Suas escolhas, meio que não afetam muita coisa, mas é meio triste porque não é o final romântico. E o ruim, eu nunca cheguei a jogar, mas com certeza nada é como planejado e deve acontecer várias coisas ruins até porque o próprio nome já diz. Fina ruim, Bad ending.
Quando começa o jogo ao escolher a rota você tem 4 opções. Em 3 você segue com um dos 3 personagens citados acima, os cavaleiros que foram enviados para proteger e cuidar de você. A outra opção é seguir sozinha. Porque você quer ser protegida, mas quer e precisa um pouco de espaço então isso acaba liberando alguns personagens novos e você passa a conhecer eles melhor do que nas outras opções anteriores. Quando você decidi ir sozinha desbloqueia 4 personagens novos, dois deles você segue com um romance, um será sua amiga e o outro seu inimigo.

Sem muito spoilers, as pessoas que “cuidam de você” são o Ian Daerier, Oliver e Rosemarie.
O Ian é um ceifeiro folgado e meio narcisista que tem/tinha a intenção de te matar por ordens de um “superior”. Oliver um coelho super fofo que adora pegar peças e Rosemarie uma vambruxa. Uma vampira e bruxa que no início não é muito amigável (mas se torna um amorzinho). A Rose é uma boa pessoa e bem fiel ao Ian e seus amigos.

Não quero dar muito spoilers sobre essa rota, mas algo do passado tipo do passado mesmo afeta o presente da nossa personagem. Então, com isso temos o Julian, o “superior” do Ian, o Super Vilão que nem é tão super assim, ele é bem psicopata e deixa algumas magoas do passado afetar ele. Não vou dizer a espécie dele, acho mais interessante jogar e descobrir. (Por mais que eu ache que umas pessoas já saibam).
Tem também a Suzumi, eu quase me esqueci dela. É uma fada que aparece, nas 3 rotas que seguem (Luka, Yukine e Joker) ela dá em cima do seu paquera, mas não deixa de ser uma boa pessoa.
Acho que é isso, como disse eu não quero dar muito spoilers do jogo, porque eu não curto muito spoiler, por mais que eu esqueça que vi. Então vamos recapitular?
Temos anjo, demônio, vampiros, mago/bruxa, ceifeiro (que não seja deixa de ser um anjo, o da morte).
Uma princesa fugida e protegida para chegar em seu reino, na sua casa em segurança. Para reinar como a nova rainha de Arkyos, onde trará coisas boas ao reino.
Minha opinião sobre o jogo: Eu amei. Joguei mais de uma vez acho, um dia desses refiz a rota “Seguir sozinha” chorei e amei, foi bem rápida também. Às imagens, o ambiente são ótimas. Não tive muito problema, a história super envolvente, às respostas bem elaboradas que às vezes me deixava na dúvida se é certa ou errada. O que eu mais gostava era quando uma imagem que aparecia durante o jogo, durante uma resposta boa da personagem.
Amo tanto que recomendei para uma amiga minha jogar, ela fez uma gameplay, você pode ver o canal dela clicando aqui ou na página amigos aqui no blog.
Então é isso sweeties eu espero que tenham gostado. Demorou muito para escrever essa resenha, eu juro que fiz o meu melhor. Mesmo, fiz sim. Demorei uns dias, eu tinha um rascunho no caderno e fui completando. Já faz um bom tempo que eu queria escrever sobre esse jogo que eu amo muito, desde que joguei. Mas resenhas são complicadas, principalmente essa que eu tentei dar o mínimo de spoiler possível, apenas deixei as coisas claras para conhecerem os personagens. Se vocês quiserem que eu escreva uma resenha sobre cada rota, bem detalhada não deixando passar nada. Me avisem aqui nos cometários.
Obrigada por lerem até aqui.
Agradecimentos especiais:
A criadora do jogo primeiramente, conheci seu trabalho graças a fanfic 49 days (acho que era isso). Comecei a acompanhar e conheci o jogo e fiquei super animada. A admiro muito também.
Todas as imagens que apareceram nesse post pertecem a Kiyomiih Lichter ou apenas Miih, disponíveis na sua página do Facebook Lichter Arts.
Outro agradecimento é a Isabella Denelle por ter feito a gameplay por minha recomendação, ela amou o jogo então fico feliz por objetivo comprido.
Agradeço também a Barbara Rejane do blog Jeitinho Nerd, outro blog amigo.
E a Rita do canal IrRitando, uma boa amiga que sempre consegue me apoiar e inspirar.
Agradeço a todos vocês que leram também.

Então até o próximo post sweeties! Beijinho na ponta do nariz de vocês e até a próxima!

3 comentários:

  1. AA, melhor visual novel brasileiro que eu joguei até agora! <3
    Vi que a criadora se inspirou em Amor Doce, mas eu prefiro MIL VEZES Arkyos Angel. :3 Sei lá, acho mais emocionante! <3
    Você pretende fazer uma resenha sobre AA2? :3
    É isso aí, ótima resenha! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não se inspirou em Amor Doce, ela se inspirou em padrões de visual novel, yandere, tsundere e essas coisas.

      Excluir
    2. De todos os visuais novels que joguei. O que não foram muitos. Com esse tema foi o melhor, é meu favorito por vários motivos. Principalmente por ser uma produção super bem feita e brasileira.
      //
      Exatamente, é uma padrão mesmo de visual novel, a esquematização, os finais. Tudo.

      Excluir